Você não tem permissão para ver essa notícia

Revista

Mais do que executivo - Edição 44

1 de dezembro de 2018

Produzido pela KPMG em conjunto com a Eurasia Group, o estudo intitulado The CEO as Chief Geo political Officer aborda o impacto que o cenário político global exerce sobre as empresas – especialmente aquelas que atuam internacionalmente – e discute o novo papel desempenhado pelas lideranças das organizações que atuam globalmente.

Uma das conclusões mais importantes do estudo é a de que os tomadores de decisão dessas grandes empresas precisam entender que a política não é uma questão secundária, mas primordial no desenvolvimento dos planos de negócios. E mais: as empresas globais devem começar a ser compreendidas como “entidades políticas”, e seus CEOs, como players políticos de fato. Ou, como o título do estudo sugere, o CEO global deve assumir seu posicionamento de “Chief Geopolitical Officer” (CGO).

Nenhum ()