Você não tem permissão para ver essa notícia

Energia e Recursos Naturais

KPMG é certificadora da RenovaBio

Nova política nacional estabelece metas de redução de emissões.

11 de julho de 2019
Homem de terno com as mãos no bolso da calça sorri em pé em corredor

O setor de biocombustíveis expande-se cada vez mais, e o Brasil tem grande potencial nesse mercado. Ao considerar as questões de sustentabilidade relevantes no cenário atual, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) instituiu a RenovaBio, em 2018.

Trata-se de uma nova política nacional de biocombustíveis validada pela Lei nº 13.576/2017. Após um período dedicado a estabelecer metas de redução de emissões para a matriz de combustíveis, a RenovaBio vem como uma oportunidade para os produtores e importadores do setor.

Para aumentar a produção de energia renovável

“A RenovaBio tem três funções. A primeira é fornecer a contribuição para o cumprimento das metas do Acordo de Paris, a segunda é basicamente fornecer uma adequada expansão dos biocombustíveis na Matriz Energética Brasileira, e a terceira é justamente assegurar uma previsibilidade na oferta desses biocombustíveis”, explica Ricardo Zibas, sócio-diretor líder de Sustentabilidade da KPMG no Brasil.

Segundo Zibas, estabelecer metas para o setor é uma forma de incentivar o aumento da produção de energia renovável. A RenovaBio certificará os produtores e importadores de biocombustíveis por meio de notas de acordo de intensidade de carbono do biocombustível produzido, avaliando sua contribuição para a redução de gases.

As metas podem representar desafios para as indústrias. E pensando nisso, a ANP certificou empresas inspetoras para realizar a Certificação de Biocombustível e validação da Nota de Eficiência Energético-Ambiental para, assim, avaliar aquelas que buscarem se adequar ao programa, como a KPMG Brasil.

Sinal verde para a KPMG

“A KPMG recebeu o sinal verde da ANP no dia primeiro de julho de 2019. Então, a partir de agora, já estamos totalmente operacionais para atender esse mercado”, destaca o sócio.

Com participação ativa no mercado de biocombustíveis e sustentabilidade, a KPMG adequou sua estrutura, com treinamentos e alinhamento profissional, para poder atender às demandas do programa.

No podcast a seguir, Ricardo Zibas esclarece as diretrizes do programa e fala sobre a importância da RenovaBio para o mercado e para a KPMG. Ouça!


 

O Acordo de Paris
O Acordo de Paris é um instrumento assinado por todos os países, com exceção dos Estados Unidos, para incentivar a redução das emissões de gases de estufa no período de 2020 a 2030. O Brasil assinou compromisso em dezembro de 2015.

()