Você não tem permissão para ver essa notícia

Indústrias

Desenvolvimento na educação

Setor enfrenta desafios para se adequar às necessidades do cenário atual.

2 de outubro de 2019
Homem de social em pé de braços cruzados

Ensino básico, médio, superior, escolas de idiomas e cursos preparatórios são alguns dos segmentos do setor de educação. No cenário brasileiro, cada um está num estágio de maturidade e de transformação.

Para o sócio de Auditoria da KPMG no Brasil, Marcos Boscolo, existe uma necessidade de implantação de plataforma tecnológica que substitua o ensino tradicional. Ele acredita que o aprendizado pela prática é o que trará um diferencial efetivo para os alunos, que já estão inseridos em uma realidade digital.

“O grande desafio das escolas é entender esses movimentos e se estruturar para atender às necessidades que o mercado de educação requer”, destaca Boscolo.

A qualificação do corpo docente e a adequação do uso de ferramentas inovadoras no ensino são pontos de atenção para executivos do setor, de acordo com o que foi apurado em pesquisa com executivos em duas edições de evento dedicado ao setor, realizadas pela KPMG em 2018 e em agosto de 2019.

Percebe-se também um descompasso entre instituições de ensino públicas e privadas, mesmo com o Plano Nacional de Educação (PNE) criado pelo governo, que estabelece 20 metas a serem desenvolvidas em 10 anos. Para Boscolo, o PNE apresenta as metas de forma clara, mas não oferece um plano de execução estratégico.

Transformar os desafios em oportunidades é a missão da KPMG para o setor. Ao definir estratégias, mapear o mercado, estabelecer de fato um plano de ação para as instituições e prover apoio global para implementar soluções, a KPMG pode auxiliar os clientes do setor a encontrarem a melhor forma de atuação.

No podcast a seguir, Marcos Boscolo apresenta um panorama, os desafios e as oportunidades para o setor, comentando as possibilidades de fusões e aquisições. Confira!

Leia também Inovação no Ensino

Nenhum ()