Você não tem permissão para ver essa notícia

Tecnologia, Mídia e Telecomunicações

Blockchain, acessibilidade digital e fusões e aquisições em telecom

Veja como foi a participação da KPMG no último dia da Futurecom.

31 de outubro de 2019
Letreiro escrito futerecom em evento

A tecnologia blockchain ainda é muito associada à criptomoeda, mas o fato é que essa solução tem sido cada vez mais empregada em diversas áreas e setores, incluindo o de telecomunicações. Esse foi o tema do painel "Telco Blockchain: elemento essencial para as operadoras do futuro?", realizado no terceiro e último dia da Futurecom.

Moderado pela sócia da KPMG no Brasil, Sara Azevedo, o painel contou com a participação de Eduardo Polidoro, diretor de negócios de IOT da Claro; Fabio Urata, project manager da Vivo; Janilson Ferreira, head on innovation and technology da TIM; João Victor Mendes, country manager Brasil da Pundix; José Reynaldo Formigoni Filho, gerente de soluções Blockchain do CPqD; e Marcelo Creimer, innovation manager da Ezly. 

Todos os participantes foram unânimes com relação às oportunidades com a aplicação do blockchain para melhorar os processos existentes, buscando otimização de custos e mitigação de fraudes em telecom, especialmente em roamings, gestão de acesso em 5G e aumento da segurança em IoT.

O blockchain aplicado em soluções de telecom para o agronegócio foi um dos principais destaques do debate. Além de ser um setor pouco informatizado em relação a outras áreas de negócios, possui imensas oportunidades de aplicação da tecnologia e tem se tornado grande oportunidade de novos serviços de conectividade, principalmente quanto à possibilidade de utilização da nova tecnologia blockchain para a rastreabilidade, em toda a cadeia, desde a automatização e controle do armazenamento,  passando por toda a logística até a chegada do produto aos pontos de venda, conferindo maior confiança ao comprador.

Os impactos da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e os desafios para a capacitação de força de trabalho para o uso da tecnologia foram outros pontos destacados durante o debate.

Mulher e homem sentados em palco. A mulher fala ao microfone
Homens de social sentados em cadeiras no palco
Mulher com fone de ouvido segurando microfone em palco de evento

Acessibilidade digital

Em sessão paralela, o líder do segmento de tecnologia em TMT da KPMG no Brasil, Felipe Catharino, mediou um bate-papo com representantes de organizações que trabalham para a  inclusão e acessibilidade digital. "Existem mais de 45 milhões de brasileiros com algum tipo de limitação e conversamos sobre como a tecnologia e a sociedade podem incluir essas pessoas", conta. 

Entre outros assuntos comentados, um dos destaques foi a importância de se planejar e  inserir soluções de acessibilidade no início dos projetos e ferramentas digitais, trazendo mais eficiência, menor custo e maior facilidade de incorporação.

Homem de roupa social
Homem e mulher de social conversando sentados em uma mesa de vidro
Pessoas de social sentados diante de uma mesa conversando

Fusões e aquisições

O setor de telecom é bastante pulverizado e com alto potencial de taxas de retorno, portanto é um mercado propício para grandes movimentos de consolidação. É o que acredita Luís Motta, líder de TMT da KPMG na América do Sul. 
Ele foi um dos debatedores do painel "Fundos de Investimento em busca de novos negócios através de fusões e aquisições de provedores regionais", que contou com a participação de Carlos Azen, gerente de telecom, TI e economia criativa do BNDES; Droander Martins, CEO da IPv7 Soluções Inteligentes e da Vuspe Capital; Gilbert Minionis, CEO da Accon Investments; Valder Nogueira, managing director - Investment Banking - do Santander; e Fabiano Ferreira, CEO da Vero Internet.

Sob moderação de Caio Bonilha, sócio da Futurion Análise Empresarial, o debate abordou as oportunidades e como as empresas se preparam para um movimento de consolidação. 

Motta destacou que as empresas devem construir, desde sua fundação, um modelo de negócios já preparado para se tornar parte integrante de uma SA no futuro. 

Para isso, ele destacou alguns aspectos importantes a se trabalhar para gerar maior valor e atratividade em uma operação de fusões e aquisições, relacionadas a boas práticas comerciais, contabilidade transparente para assegurar o compliance e a governança corporativa, entre outros. "É importante ter esse profissionalismo porque, olhando pela ótica dos compradores, são grandes as dificuldades na aquisição e leva-se muito tempo para obter informações em um processo de due diligence", alerta. 

A Futurecom é o maior e mais completo evento de Transformação Digital da América Latina e foi realizado entre os dias 29 e 31 de outubro, em São Paulo.

Homens de social sentados em cadeiras sobre o palco. O do centro fala no microfone

Nenhum ()