Você não tem permissão para ver essa notícia

Energia e Recursos Naturais

Competitividade do gás no Brasil

Especialistas avaliam as novas medidas do governo e sua efetividade para o mercado.

27 de março de 2020
Homem e mulher lado a lado, de social, sorrindo

O gás natural representa aproximadamente 8% da matriz energética brasileira. As expectativas de aumento da produtividade e a influência no desenvolvimento econômico do país cresceram com as descobertas de reservas do pré-sal.

Tanto como matéria-prima para as indústrias quanto como insumo para o setor elétrico, essa fonte de energia ainda não apresenta a competitividade esperada em função da abundância da oferta. Um desafio para transformar esse cenário é a falta da livre concorrência no mercado do gás natural, considerando que uma única empresa possui o controle sobre todo o processo, desde a produção até a distribuição.

O governo estabeleceu medidas importantes para ampliar a competitividade do gás natural, com a Resolução CNPE no 16/2019 (jun 2019) e o Termo de Compromisso de Cessação (TCC), celebrado entre a Petrobras e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE (jul 2019). As medidas preveem diretrizes para promover a livre concorrência, assim como compromissos para caminhar nessa direção.

No podcast a seguir, a sócia de Mercados e líder do segmento de Energia Elétrica e Utilidades Públicas da KPMG no Brasil, Franceli Jodas, conversa com Antônio Souza, sócio de consultoria para o setor de Energia da KPMG no Brasil, sobre os aspectos mais relevantes para o mercado. Eles comentam as medidas do governo. Confira:

Na segunda parte do podcast, os especialistas comentam os desafios tributários, preços e perspectivas para o setor.

Confira o primeiro podcast da série:

Insights para Energia e Recursos Naturais

Nenhum ()