Você não tem permissão para ver essa notícia

Iniciativas institucionais

Retorno aos escritórios

Pesquisa da KPMG avaliou a expectativa de retorno de empresários de todo o país.

29 de julho de 2020
mulher segurando o celular não aparece o rosto dela

Os últimos meses trouxeram intensas mudanças para os modelos de negócio, e o trabalho remoto foi protagonista para a adequação das medidas de prevenção à Covid-19. Observar os índices de avanço da pandemia foi, e continua sendo, fundamental para determinar os próximos passos do retorno aos escritórios.

Empresários de todo o país participaram da pesquisa “Covid-19: como será o seu retorno aos escritórios”, produzida pela KPMG, para compartilhar as expectativas sobre o assunto. O estudo reúne opiniões e observações de 722 profissionais de todas as regiões do Brasil, de 11 setores do mercado.

“A pesquisa aponta que as empresas estão buscando se adaptar a essa nova realidade, implementando medidas para que o retorno dos funcionários aconteça de forma segura. A retomada será gradativa para que os gestores possam avaliar a efetividade da implementação desse processo”, comenta André Coutinho, sócio-líder de Clientes e Mercados da KPMG no Brasil e na América do Sul.

Aproximadamente 35% dos empresários entrevistados afirmaram que os profissionais da empresa onde trabalham devem voltar aos escritórios entre setembro e dezembro deste ano, 21% disseram que retornam em agosto e 9,4% somente em 2021.

“Outro ponto interessante diz respeito à produtividade. O levantamento mostra que houve uma boa adaptação ao home office, o que não era uma realidade dos trabalhadores brasileiros”, destaca o sócio-líder do Centro de Serviços Compartilhados da KPMG no Brasil, Roberto Gomez.

Para quase metade dos respondentes, 49,5%, a produtividade se manteve igual, e 24,5% dos empresários notaram um aumento de até 20%. A pesquisa traz todos os dados detalhados. Para acessar o relatório na íntegra, clique aqui.

()