Você não tem permissão para ver essa notícia

Indústrias

Como adquirir resiliência financeira

Saiba mais no artigo de André Coutinho, sócio-líder de Clientes e Mercados da KPMG no Brasil e na América do Sul.

14 de setembro de 2020
mulher utilizando tablet digital, não aparece seu rosto

A Covid-19 impactou diversos procedimentos organizacionais e forçou os líderes empresariais a serem ainda mais resilientes. Além das diversas estratégias já abordadas em artigos anteriores, é necessário que haja uma especial atenção ao tema da resiliência financeira.

Para que a transição até a nova realidade seja possível nesse ambiente repleto de incertezas, algumas ações devem ser executadas. A primeira diz respeito a capital, caixa e custo, uma vez que manter capital de giro suficiente e gerenciar as pressões de custos é prioridade nesse momento para todas as organizações.

Mas, além disso, navegar pela incerteza também envolve a necessidade de uma habilidade complementar principalmente dos diretores financeiros, que estão atravessando um dos momentos mais incertos e críticos para a tomada de decisões. Finalmente, é necessário que as organizações de todos os setores saibam realizar movimentos precisos para aumentar caixa, permanecerem líquidas e criarem liberdade de manobra.

Essa discussão significa, na prática: priorizar a estabilização; reequilibrar as carteiras operacionais; construir uma organização capaz de enfrentar desafios; e modelar o cenário.

Detalhando cada um dos elementos, priorizar a estabilização significa acumular capital e reservas de caixa sempre que possível, pois a liquidez e a alavancagem estão presentes nos setores para as empresas e investidores. Conforme a economia passa para uma recessão econômica mais grave, as organizações priorizarão a estabilização sobre o investimento em novas áreas.

Reequilibrar as carteiras operacionais significa reduzir custos investindo em eficiência operacional, produtividade e automação, uma vez que a pandemia está forçando as organizações a reequilibrarem portfólios operacionais para obter maior flexibilidade no futuro.

Construir uma organização preparada para qualquer cenário significa usar a liquidez para investir em equipamentos, produtos e tecnologia de saúde e segurança para criar ambientes mais seguros para funcionários e parceiros de negócios.

Modelar cenários significa atualizá-los regular e proativamente para planejar respostas a situações extremas. Afinal, quanto mais desconhecido o ambiente, mais dependente da modelagem de cenários as organizações serão.

Para que a resiliência financeira seja bem praticada, as ações em execução devem ser rastreadas. Estas, no caso, podem ocorrer a partir de três abordagens: medidas de resiliência econômica e financeira (índice de estresse financeiro, índice de volatilidade, painel financeiro da crise); medidas de resiliência financeira no nível da empresa (índice de liquidez, índice de alavancagem e índice de liquidez corrente); e transformação digital (receita do mercado e acompanhamento da previsão de gastos com tecnologia).

Em um ambiente de negócios repleto de incertezas, certamente as empresas vencedoras serão aquelas que investirem corretamente nos novos temas emergentes e executarem de forma estratégica e assertiva a prática da resiliência financeira.

()